Discurso Directo.

"O céu agora está completamente escuro, a luz do sol morreu e nem tenho a lua para o espelhar. Afinal, içar âncora deste sonho não é partir para construir outra realidade, é apenas regressar"

~Pai

domingo, 25 de novembro de 2012

Sabes, a vida apenas tem um começo, um fim, e o resto é só muito "meio". Mas é esse meio que nos destrói, que nos faz crescer, que nos faz feliz, é o que podemos chamar "viver".
Todas as lágrimas, todos os sorrisos estão aqui, no nosso coração, e tu que apenas és uma folha de papel, és o amigo para o qual eu murmuro os meus desejos, mas a vida é inconsistente, num dia chove no dia seguinte faz sol. Não entendo.

Dói-me o coração

Expliquem-me o que é a felicidade? O que é a paz de espírito? Digam-me o que é que faço neste mundo?

No outro dia fiquei plantada no centro da linha férrea, quase como estivesse à espera que o comboio viesse e me levasse, para um lugar melhor, talvez. Quero voltar a sentir. A sentir, não o medo, pois o medo já se tornou tão familiar, que nem o vejo. A sentir a luz do sol, a chuva, as estrelas no céu, a felicidade de apenas existir. Pensei também no rio, tão triste, mas também tão forte. Também me poderia levar a voar, a planar pela sua corrente. Os sonhos são intermináveis, a realidade confunde-se com eles e eles comigo.
Dói-me aquela parte de mim que já devia ter parado de doer.