Discurso Directo.

"O céu agora está completamente escuro, a luz do sol morreu e nem tenho a lua para o espelhar. Afinal, içar âncora deste sonho não é partir para construir outra realidade, é apenas regressar"

~Pai

sexta-feira, 6 de janeiro de 2012

Hoje

Hoje é o meu aniversário, e em que é que estou eu a pensar? Naquilo que me faz parar todos os dias. Os medicamentos. Os que tomo para sobreviver. Porque não existe cura para isto. Mas não durmo, não quero comer, e o que me impede de voltar a magoar-me são estes estúpidos medicamentos que me dizem "Não sejas estúpida, ainda cá estás", mas será que é isso que eu quero? Depender em medicação para o resto da minha vida?
Mais uma noite sem conseguir dormir e dou por mim a pesquisar sobre isto, aparentemente existem vários tipos e eu nem sei em qual deles me enquadro. Ontem pensei em momentos em que era mais nova que agora consigo explicar como sintomas. Mas porquê?
Porque é que eu tenho que ser assim? Tenho medo de me esquecer. Tenho medo de ter outro ataque. Tenho medo de sair de casa. Tenho medo de estar na escola. Apesar de os medicamentos supostamente ajudarem-me a enquadrar-me melhor numa vida social. Tenho medo. Fecho os olhos à noite e vejo-me a ter um ataque, a ser levada para o hospital, a morrer, depois fica tudo negro e eu pergunto-me "porquê?", e acordo. A chorar. Porque vejo a minha mãe e o meu irmão que foram comigo para o hospital a gritar "Adriana! Não feches os olhos! Por favor!" e o meu irmão segura a minha mão com lágrimas a correrem-lhe pela face e ele diz baixinho "Por favor mana, não vás. Por favor". Os meus olhos fecham-se e acordo.

2 comentários:

  1. Volta para junto de nós adri nós e sabes a quem me refiro queremos ajudar-te,não fiques em casa e não tenhas medo porque nós estamos aqui para te proteger e agarrar,beijinhos adri *

    ResponderEliminar
  2. Adriana, quando escreveste isto eu chorei, faz-me chorar de novo mas, agora de alegria, diz-me como estás agora?

    ResponderEliminar