Discurso Directo.

"O céu agora está completamente escuro, a luz do sol morreu e nem tenho a lua para o espelhar. Afinal, içar âncora deste sonho não é partir para construir outra realidade, é apenas regressar"

~Pai

quinta-feira, 30 de setembro de 2010

Finale

Preciso de chorar.
Preciso de gritar.
Preciso de respirar.
Quero-te aqui.
Para te abraçar, para te sentir.
Para poder, finalmente dormir.
Volta.

quarta-feira, 22 de setembro de 2010

36 Km


A noite passada sonhei contigo. Sonhei com os sorrisos e com as brincadeiras. Quando acordei pensei para mim, "Porquê? Porque é que sonho contigo quando sei que estás a 36 km de distância? Porquê?". Então senti uma lágrima molhada correr-me pela face. Apesar de saber tudo isto continuo a sonhar e a pensar em ti, como se estivesse contigo na escola todos os dias.

Talvez os passos que me levam a ti nem são tantos assim. Sei que estarás sempre lá, não importa o tempo que demoro até chegar a ti. Sei que também sofres, mas também sei que tu, tal como eu, escondes a saudade com um sorriso, pois nem sempre temos o que queremos. Nem o que necessitamos.

Adoro-te, e tu sabes disso. Mas doí sempre menos, todas as vezes que o digo.


(Adoro-te Ana Beatriz Hilário. Ontem, hoje, sempre.)

segunda-feira, 20 de setembro de 2010

Frágil

Esta é a parte que tu mais odeias. As batalhas. As lutas. Ver aqueles que são importantes a sangrar, faces torcidas com dor. Odeias que também tu estejas a magoar alguém. Mas mais que tudo, odeias o sabor do poder. Odeias-te por querer mais e por sentir aquela adrenalina subir a espinha quando derrotas um inimigo. Por esta razão, acreditas que és uma má pessoa. Sabes que és uma má pessoa. Sabes cada vez que te levantas sobre o corpo de um oponente, sabes cada vez que te arrastas de volta a casa, e sabes cada vez que a tua família te vem confortar, porque não és forte o suficiente para lidar com isto sozinho. És alguém mau, e frágil também.

Mas quando eu te vejo, mais uma vez a baixar a cabeça pelas perdas, eu sei que é isso que te faz forte. Porque percebes que magoas alguém com cada vitória, mas continuas a lutar pela tua família na mesma. Por chorares, nós respeitamos-te. Não porque mataste. Pois as tuas lágrimas são umas que caiem de um anjo amaldiçoado a viver na Terra. São inocentes e trágicas. Não porque choras por ti, mas porque choras por todos aqueles que magoaste. E é por isso que eu me mantenho sempre a teu lado com toda a família, prontos para dar a vida, pelo anjo que nos guia. Para proteger aquela chama gentil no entanto forte que queima no teu coração. Porque és, na realidade, alguém bom.